Introdução: a origem dos problemas existentes no sistema de ensino Português

Há 20 anos foram tomadas em Portugal medidas que se revelaram altamente prejudiciais para o sistema de ensino nacional, e que levaram este sistema ao estado lamentável em que este se encontra hoje, desde a escola primária às universidades públicas.

Nos dois capítulos seguintes vamos mostrar que os problemas hoje existentes no sistema escolar devem-se à manifesta incorrecção científica e pedagógica dos métodos de ensino de Português e de Matemática, que foram postos em prática naquela altura.

Com efeito, e como mostram perfeitamente os resultados dos Exames Nacionais de Português e de Matemática do 12º ano, um aluno médio, ao fim da escola secundária, é um aluno com a nota de “Não Satisfaz”, nota esta merecida pelos educadores que impingiram métodos de ensino viciados a este aluno.

Como consequência, um aluno médio não se consegue exprimir em Português, e não está habilitado aos estudos de qualquer disciplina exacta, que exija conhecimentos de Matemática, nem aos estudos de qualquer disciplina que exija pensamento abstracto.

Este aluno também não se encontra habilitado para continuar a sua formação ao nível universitário ou politécnico, mas acaba por entrar nos estabelecimentos de ensino superior, os quais se vêm obrigados a reduzir o nível de exigência tanto na admissão dos alunos aos cursos superiores, como na sua avaliação durante os estudos, por falta de alunos devidamente habilitados.

Assim, as falhas metódicas ao nível da escola básica e secundária têm repercussões negativas em todo o sistema educativo nacional. Estas falhas devem ser suprimidas com a maior brevidade possível, para que possamos ter esperança na futura recuperação do nosso sistema de ensino e da sua capacidade de produzir pessoas bem formadas , em todos os aspectos educativos e sociais.

O que está em causa são os métodos de ensino inválidos, que travam o desenvolvimento intelectual do aluno e não lhe permitem dominar as matérias curriculares.

9 comentários:

Henrique Abreu disse...

Estimado José Carrancudo,

Uma excelente análise Sua neste post, parabéns por este blog cuja temática é muito pertinente e importante para ajudar a melhorar a situação actual do ensino em Portugal , e não só.....

Hugo Pacheco disse...

Concordo perfeitamente com os problemas levantados, na sua análise. Vai muito de encontro aos problemas que já constatei, na minha curta experiência enquanto Professor do 2º ciclo de Matemática.
Penso que grande percentagem do insucesso escolar, surge da organização estrutal e dos métodos utilizados actualmente. São os alunos médios, no meu entender os que mais sentem a crise de resultados. Pois, invariavelmente, acabam o 12º ano com enormes dificuldades. O seu percurso académico,não é o mais adequado para ultrapassar com o sucesso desajado os exames nacionais do 12º ano.

Quero, desde já agradecer, na qualidade de Presidente da JSD de Cabeceiras de Basto a msg enviado por si no nosso blog. Surge num momento importante, porque de facto estamos, a elaborar um projecto que vise combater o insucesso escolar na nossa região.

um abraço

olho_azul disse...

Um post que foca aspectos muito importantes do nosso ensino, um blog deveras interessante, que apreciarei mais profundamente assim que a disponibilidade o permitir.(Fica aqui o compromisso)

E já agora obrigada pela visita ao meu cantinho.

Um abraço

Ministério Público disse...

sim senhor! É preciso continuar para que a revolução que se faça ocorra nos espíritos e nas mentes e não nas ruas com tanuqes.

Bem haja!

Idade do Ferro

http://idadedoferro.blogspot.com

José Gil disse...

Caro José... Como teve a amabilidade para deixar o comentário no meu blog, venho ao seu para lhe dizer que se lá voltar, encontrará um post meu referente ao comentário que me deixou e ao assunto que trata no seu blog...
http://aventurasemportugal.blogspot.com/2007/06/resposta-ao-post-anterior-desculpem-se.html

Com os melhores cumprimentos,
José Gil

Manel João disse...

Professor José, queria, desde já, deixar aqui um especial agradecimento por fazer parte de um grupo que eu considero muito especial - um bom professor que é, ao mesmo tempo, um bom cidadão.

Encontrei o seu blog por curiosidade e posso-lhe dizer que me vai dar imenso jeito e que provavelmente o citarei em futuras situações, visto que sou um aluno do 12º ano, inserido no programa do Parlamento dos Jovens e estou a tratar exactamente o tema da Educação em Portugal.
Ainda não li tudo, mas irei ler, em seguida.
É urgente iluminar Portugal!

Cumprimentos
Manuel João

José Carrancudo disse...

Falta arranjar algum ministro que saiba ler, além de saber assinar.

José Carrancudo disse...

Caro Manel João,

Já que se encontra inserido na política, tem que aprender o vocabulário político:

"vamos estudar o assunto" - quer dizer que não têm qualquer intenção de fazer aquilo, nunca ...

Recentemente, tive a oportunidade de falar, brevemente, com o Sr. Presidente do Conselho Nacional da Educação. Conclusão: em termos de competência dos dirigentes, estamos pior do que se esperava.

Cumprimentos,
J.C.

Mário de Noronha disse...

Gostei deste post. Até nas aulas de Psicologia Social e de Psicopatologia consigo notar muitas falhas que não deveriam existir nessse estadio de aquisição de conhecimentos.
Mário de Noronha